Como escolher vinhos

360027989_b1ee715ba5_b
Contextualizando

Tem umas coisas interessantes acontecendo na minha vida ultimamente e uma delas me fez pensar em vinhos.

Eu sempre gostei de experiências sensoriais completas. E experimentar bebidas é uma das preferidas, talvez porque seja das mais acessíveis.

Qualquer pessoa normal nessa vida, tem uns copos legais em casa e consegue preparar uns tragos bonitos, geladinhos e saborosos. Coloca uma musiquinha agradável de fundo e pronto, temos uma experiência sensorial completa (ou uma festinha!).

Quando o assunto é vinho, fica mais fácil ainda. A bebida já tá pronta, né? Pega uma taça, abre a garrafa e vamos brindar!

Esses dias fui escolher um vinho pro final de semana e me lembrei que não manjava nada do assunto. Hahahaha. Aí pesquisei, pesquisei, pesquisei… E pra fixar o conteúdo (tipo estudando pra prova, sdds facul!), resolvi escrever esse post.

Então vamos lá…

Pra começo de conversa

Existem três tipos de vinho: tinto, branco e rosé.

Tinto – feito com uvas tintas, aquelas bem escurinhas e por isso deixam a bebida escura (oh, really?)
Branco – feito com uvas brancas (há!)
Rosé – mistura os dois e tcharam!

Quer saber se é mais doce ou não?

Procure o teor de secura na garrafa!

Seco – 0 a 5g de açúcar por litro
Meio Seco – 5 a 20g/L
Suave ou Doce – mais de 20g/L

Acompanhamentos

Pelo que entendi, vinho tinto é hot hot, vai bem com comidas mais pesadas, gordurentas ou se estiver friozinho, porque no geraaaaal, é mais ‘pesado’, logo ‘esquenta’ mais. E vinho branco é mais fresco, leve, vai bem com pratos doces, coisa e tal. É interessante também prestar atenção na acidez do vinho (faz a boca salivar mais) e na quantidade de taninos (deixa a boca seca). Por exemplo, se você vai comer algo que deixa a boca gordurosa, é legal escolher um vinho com muitos taninos pra dar uma equilibrada por ali. Raciocinio lógico e equilibrio, tudo nessa vida!

WTF is taninos?

Nas minhas pesquisas, li muitos sites falando ‘vinho tal tem mais taninos, bla bla bla’. Fui atrás e descobri que esses tais taninos são coisinhas – derivadas das cascas e sementes das uvas – que deixam aquela sensação de ‘comi banana verde’ na boca, sabe? Vinhos tintos tem mais taninos. Parece que não existe uma classificação de taninos nos vinhos, depende muito da uva, da colheita, da estocagem. Tem que ver rótulo a rótulo mesmo!

Mais coisinhas

Existem muitas outras coisas a se falar sobre vinhos, tipo: taças, variedade de uvas, como degustar, etc. Mas isso foi o que eu, pessoa leiga, achei suficiente saber pra brincar de escolher vinho.

Por fim, mas não menos importante

Depois da segunda taça, que diferença isso tudo faz? Na dúvida, escolha o rótulo mais bonito e seja feliz!

Essa foi a minha pedida pro final de semana e meus critérios de escolha foram:
– O cara da loja disse que é meio doce (meio seco), fácil de beber e combina com ‘jovens’
– Achei o rótulo bonitão
– É da California e tudo o que é de lá costuma ser cool, com esse vinho não deve ser diferente

O que eu aprendi com “A culpa é das estrelas”

Às vezes eu me pego pensando qual o sentido dessa coisa toda, essa vida toda. Por que se esforçar por algo, por que construir algo, se sabemos que no final, vamos todos morrer e dessa vida nada se leva?

Às vezes também acordo insegura, com medo do que o futuro me reserva… “E se tudo o que tá perfeito hoje em dia, explodir daqui um tempo?”.

Antes eu simplesmente deixava esses pensamentos passarem… Hoje em dia lembro da Hazel e A Culpa É das Estrelas.

No filme, ela que tinha câncer, se questionava porque os pais dela faziam tanto por ela e nada por eles próprios, mesmo sabendo que uma hora ou outra ela ia morrer e a vida deles continuaria. Se preocupava com o que seria da vida deles depois que ela partisse.

Paralelamente ela se apaixona por um garoto que também vai morrer – antes dela – e ainda assim, não deixa de viver esse romance, mesmo sabendo que isso vai acabar logo. Quando ele morre, ela sofre, mas não se arrepende.

Em uma conversa com seu pai, depois do garoto ter morrido, ele diz “Valeu a pena ter lutado por ele, não?” e a partir daí ela entende porque os pais dela agem da maneira que agem e se conforta porque sabe que vai ficar tudo bem depois que ela se for.

No final do filme, fica a mensagem “Alguns infinitos são maiores que outros”. Entre o 0 e 1 existe um infinito de números. Entre o 0 e o 100, um infinito ainda maior. Mas independente do tamanho, são infinitos. O que pra mim significa que: algumas coisas na nossa vida vão durar pouco, algumas vão durar muito e no final tudo vai acabar, mas o que importa é o que essas coisas nos fizeram sentir no presente.

E é por isso que a gente se esforça, que a gente constrói… porque isso faz a gente sentir coisas boas. E quando essas coisas que fizeram nos sentir tão bem acabam, as lembranças confortam nosso coração.

2014 tá acabando e isso foi o que aconteceu de legal esse ano…

Esse post é beeeeeem pessoal. Esse blog tá virando meu diário né? Mas vamos lá!

Chega final do ano, bate aquela nostalgia do tempo passando e ao mesmo tempo aquela sensação de desespero: tá indo tudo muito rápido demais e parece que eu não tô aproveitando/realizando nada.
Nessas horas eu paro e faço uma lista de coisas legais que aconteceram/fiz nesse ano, pra provar pra mim mesma que foi sim um ano que valeu! Tá meio cedo pra isso, ainda é Novembro, mas achei justo fazer isso agora pra dar um gás para os quase dois meses que me restam. Então vamos lá… coisas legais que aconteceram esse ano:

1) Voltei pra Brasília depois de muitos anos. Sempre tive família por lá, mas só tinha ido pra cidade umas duas vezes, em casamentos e coisas assim. Mas como meu pai se mudou pra lá, foi legal passar o réveillon com primas queridas que eu não via a muito tempo.

Turistando hard 😝

A post shared by Renata Mayumi (@rehmayumi) on

2) Passei três meses ‘morando sozinha’ com a minha irmã. Porque minha mãe quis esticar a temporada em Brasilia e a gente quis voltar pra SP. Foram três meses bagunçados e divertidos, a gente aprendeu a fazer caipirinhas e a tomar champagne as 6h da manhã. Viramos noites falando merda, rindo à toa e celebrando a liberdade de morar sozinhas ainda que temporariamente. Minha irmã é foda e qualquer dia com ela é um dia divertido.

Festa boa eh no conforto do lar! #caipirinhadafê #secairjacainacama

A post shared by Renata Mayumi (@rehmayumi) on

3) Ainda no verão nós fizemos uma viagenzinha pelo RJ. Quatro dias na capital, um dia em Petrópolis, dois em Saquarema e mais quatro em Búzios. O ano começou brilhando, não caiu uma gota de chuva nesses dias e a gente aproveitou muuuuuuito. Trilhas, cachú, praia, cerveja, amigas queridas e festinhas, foi tudo de bom!

#buzios 😅

A post shared by Fe Harumi (@fe_harumi) on

4) Comecei a trabalhar na Farm. Tudo bem que eu ando insatisfeita com isso, mas no começo foi algo feliz. E 50% de desconto nas roupas da minha marca preferida definitivamente é algo legal! Têm sido um teste de resiliência também e isso deve ser algo positivo pro meu crescimento pessoal.
5) Formatura. O baile e a colação. Definição de dias felizes, emocionantes, daqueles que te fazem olhar pra trás e pensar: valeu a pena sim!
6) Em Maio voltei pra Saquarema, dessa vez pra curtir uma praia e o campeonato de surf que tava rolando. A cidade tava bombando de sol, surfistinhas e festinhas. Foi uma viagem completa, incluiu tudo o que uma viagem com amigas tem direito: álcool, loucurinhas, vexames, brigas, choros de reconciliação, risadas e declarações de amor. No final das contas a gente percebeu que o importante mesmo é que a gente têm uma a outra.

já pode voltar? 😔

A post shared by Fe Harumi (@fe_harumi) on

7) E aí teve a Copa, que foi um mês extra de Carnaval. E eu, não satisfeita em curtir aqui em São Paulo, fui pra bagunça da final no Rio. (Amigas lindas do Rio, obrigada por me receberem sempre que eu dou a louca e apareço por aí)
8) Em uma noite de tédio, sem muito potencial pra algo significativo, conheci um garoto. E aí meu coração que andava meio frio, esquentou novamente.
9) Em Setembro, um amigo muito querido que conheci no Havaí, veio para o Brasil. Fizemos um mini tour entre SP e RJ. Dois dias em SP, um fds no litoral norte de SP e mais 5 dias no RJ. Se não deu pra sair do país esse ano, essa viagem valeu por uma internacional! Foram dias intensos, bem turistas, a gente se divertiu demais, colocamos o papo em dia, matamos as saudades, rimos e choramos juntos, fizemos promessas de nos ver mais vezes. Foi inspirador!

🙌

A post shared by Fe Harumi (@fe_harumi) on

10) E por causa dele eu criei esse blog, que têm me dado um resultado interessante: tô melhorando a minha escrita, saindo da minha zona de conforto… dá um friozinho na barriga saber que algumas pessoas estão lendo coisas tão minhas!
11) Vale ainda citar os mil dates, sejam aqui em SP ou na praia, junto com o garoto do item 8. Definitivamente algo que incrementou bastante o meu ano. (Obrigada gatão!)

só sorrisos ☀️😂

A post shared by Fe Harumi (@fe_harumi) on

12) Eu emagreci 5kg… e sim emagrecer sempre é algo feliz!

“Tá vendo Fernanda, como valeu?” (eu falando comigo mesma!)

Plus… o que falta pra ficar perfeito:
13) Um trampo novo
14) Um réveillon sorridente
Nem é querer muito, assim…